Embaixo da escada

E ali mesmo, embaixo da escada, ela me deitou no chão e me deu um beijo na boca.
Imóvel, apenas fechei os olhos e deixei que aquele momento continuasse até quando ela quisesse. Mas não demorou muito.
O gordinho espiava para alertar a presença de alguma pessoa que chegasse. Felizmente ninguém chegou e ela me deu um beijo na boca. Ali mesmo, embaixo da escada.
Era uma tarde qualquer em que as crianças do prédio desciam para brincar no playground depois de um extenuante dia de obrigações em suas escolas.
Depois de assistir aos desenhos na tv que embalavam as tardes lúdicas, calcei o chinelo, coloquei minha camisa e desci. Diversão garantida e agora, novas descobertas.
Eu não me lembro o nome dela. Porém, lembro que minha mãe não queria que eu brincasse com aquela menina e só fui descobrir o porque disso algum tempo depois.
Como a vida é engraçada. Foi ela, justamente ela, que me deu um beijo na boca.
O gordinho ria que se acabava. E eu ali, imóvel, deitado no chão, descobrindo aos tenros 4 anos de idade uma forma de falar calado. Para aquela loirinha mais experiente e mais velha, provável que aquilo não tenha significado nada além de uma brincadeira. Para mim, aquele beijo disse muita coisa.
Logo depois todos voltaram para as brincadeiras de playground normalmente. O gordinho gritava correndo atrás de todo mundo mas não alcançava ninguém.
Todos corriam. Menos eu, que observava o balançar dos lisos cabelos loiros passar por mim em câmera lenta. Seu sorriso desfalcado acusava a cumplicidade do momento escondido e convidava para uma nova brincadeira. Ela corria. E eu, estático, nunca mais a alcancei.
Eu não me lembro o nome dela. Mas foi a loirinha banguela que me deu o primeiro beijo, ali mesmo, embaixo da escada.
E foi com ela que, pela primeira vez, eu peguei piolho.

6 Comments

  1. Gostei do Conto Lau, Parabéns !!!
    Sendo Estória ou História, entendo subliminarmente algumas coisas da sua vida.
    1- A Escada – Marco Definitivo da Virgindade “Bocal”, forte influência na escolha Profissional nº1 – Arquitetura
    2- A Loirinha Piolhenta – Definitiva para a Escolha Profissional nº2 – Design – Tornar a Loirinha Plasticamente Melhor.
    Grande Abraço Lau, e até o Próximo Conto

  2. Muito bom Lau!
    Mas… esse piolho foi quase uma doença venérea. oO

Leave a Reply