Óculos

Meu pai não me deixou heranças. Apenas seus óculos.
Simples, com uma armação leve mas de boa qualidade.

Eu demorei 39 anos para entender que esse objeto tão comum representava o instrumento com o qual passaria as noites lendo e analisando o mundo ao meu redor. Troquei apenas as lentes para os graus que a minha geração exigia.

A educação japonesa sempre foi baseada na observação, na análise dos acontecimentos, aprendizados solitários e não tanto no carinho evidente e respostas objetivas como fazem os ocidentais.
E assim a armação dos óculos fora construída. Com ensinamentos e atitudes. Com observação.

Ao colocar os óculos entendi a miopia da vida e a finitude a qual estamos condenados até o fechar dos olhos. Meu pai ao fazê-lo, deixou para mim um horizonte maior de possibilidades para diminuir as limitações que ele mesmo teve. Não tinha estudos mas gozava de grande inteligência.

Pensando melhor, ele deixou uma grande herança. Seus óculos.

oculos

3 Comments

  1. Que herança melhor pode um pai deixar para um filho do que abrir-lhe a porta da curiosidade para que ele descubra novos mundos e novas possibilidades? Lindo texto Laert.

  2. vou aguardar pelos óculos do meu. apesar de não sermos de descendência japonesa, com certeza, armações de óculos são objetos guardados com muito carinho pelo meu pai. sem contar nas suas outras tantas coleções (tipo relógios, cartões telefônicos, canetas, etc). já as suas manias, ele já passou, ensinou-me várias. vai ver que é por isso que eu sou tão geniosa quanto ele. 🙂

Leave a Reply