Respeito

Deixo aqui um recado para todos: aos que conhecem o significado da palavra e o praticam e aos que não tem noção e utilizam as redes sociais para demonstrar sua completa (e desprezível) ausência.

RESPEITO
Reconhecimento da dignidade própria ou alheia e comportamento inspirado nesse reconhecimento.
Demócrito foi o primeiro a transformar o respeito em princípio da ética: “Não deves ter para com os outros homens mais respeito que para contigo mesmo, nem agir mal quando ninguém mais do que quando todos o saibam; deves ter para contigo o máximo respeito e impor à tua alma a seguinte lei; não fazer o que não se deve fazer” (Fr. 264, Diels).
No discurso com que Protágoras, no diálogo homônimo de Platão, expõe a origem da sociedade humana, diz-se que “temendo que nossa estirpe se extinguisse, Zeus ordenou que Hermes trouxesse o respeito recíproco e a justiça para o meio dos homens, a fim de que esses fossem princípios ordenadores das cidades, criando entre os cidadãos vínculos de benevolência” (Prot., 322e). O respeito recíproco e a justiça são, assim entendidos, os dois ingredientes fundamentais da “arte política”, que é a técnica de vida em comunidade.
Aristóteles, porém, incluiu o respeito entre as emoções, excluindo-o das virtudes (Et. nic., II, 7, 1108 a 32), e o opôs ao temor (ibid., 10, 9, 1179 b 11).
Kant também o reduziu à esfera das emoções, considerando-o, porém, como um sentimento sui generis, aliás como o único sentimento moral e não patológico. O sentimento de respeito “é produzido apenas pela razão. Não serve ao juízo das ações nem como fundamento da lei moral objetiva, mas simplesmente como móbil para transformar essa lei em máxima”.
O respeito sempre se refere às pessoas, nunca às coisas; é próprio do ser racional finito porque supõe a ação negativa da razão sobre a sensibilidade, portanto a própria sensibilidade. Por isso, “a um ser supremo ou a um ser isento de sensibilidade – ao qual, portanto, a sensibilidade não pode ser obstáculo para a razão prática – não se pode atribuir respeito à lei” (Crít. R. Prática, I,I cap.III).
Mesmo fora da filosofia, a noção de respeito foi fortemente influenciada por essas observações de Kant.
Por respeito, entende-se comumente o empenho em reconhecer nos outros homens, ou em si mesmo, uma dignidade que se tem o dever de salvaguardar.

(Dicionário de Filosofia – Nicola Abbagnano)

Leave a Reply